01 novembro 2011

Matizes E Texturas: O Rei Louco (Corneliu Baba)

Por Jonathan Pereira


Corneliu Baba (1906-97), Realismo
O Rei Louco (1981), óleo sobre tela
49 x 33 cm, coleção do artista 





PINTURA: O Rei Louco (The Mad King)
PINTOR: Corneliu Baba
PERÍODO: Pintura Moderna
FASE: Realismo
TÉCNICA: Pintura a óleo
SUPORTE: Tela
DIMENSÕES (LxA): 49 x 33 cm
CONCEPÇÃO: em 1981
LOCAL DE EXPOSIÇÃO: não exposto





PINTURA
Na série de pinturas 'O Rei Louco', Baba experimenta variações de cor e composições, possibilitando ir da alegria a tristeza, assim como representar a ambiguidade da existência humana.



PINTOR
Corneliu Baba nasceu no dia 18 de novembro de 1906 em Craiova, na Romênia. Aos sete anos de idade, seu pai lhe apresentou uma igreja que acabou virando sua tela, ensinando o filho a pintura de retrato, marca de Baba. Além da paixão pela pintura, também era apaixonado por música e literatura, e em 1926 tentou ingressar na Academia de Belas Artes de Bucareste e foi reprovado. Em 1934 tornou-se aluno de Nicolae Tonitza na Universidade de Iasi. Em 1936 casou-se e em 1938 foi contratado para projetar o interior da Capela Hasa, que entre outras pinturas, fez uma de Jesus muito parecida a ele. Um ano depois, Baba torna-se funcionário da Academia de Belas Artes de Iasi e em 1946 professor de pintura. Depois de problemas com a polícia, muda-se para Bucareste, já em 1954 casa-se pela segunda vez e recebe o Prêmio Nacional De Arte e a medalha de ouro na Exposição Internacional em Varsóvia. Em 1948 expõe suas obras em Veneza, Moscou e Praga. Já em 1950 foi nomeado professor de pintura no Instituto de Belas Artes de Bucareste. Em 1988 Baba cai em seu estúdio e tem seus movimentos limitados e em 1997 morre.



FASE
A pintura do Realismo começou por manifestar-se no tratamento da paisagem, que se despiu da exaltação e personificação românticas para se ater, simplesmente, na reprodução desapaixonada e neutra, do que se oferece à vista do pintor. Passou, depois, aos temas do cotidiano, que tratou de forma simples e crua. Os quadros realistas causaram o maior escândalo e acusaram seus defensores de agradar à arte, quer pelos temas banais, por vezes ofensivos, quer pelas cores excessivamente mortas, de bom gosto, quer pela falta de elaboração e conceptualização das composições. No entanto, para os seus defensores, a representação da realidade em sensível era a última palavra em audácia artística. O Realismo abrange o respeito à exatidão do desenho e ao perfeito acabamento do quadro. Os pintores realistas executam, no exterior, breves esboços e apontamentos que trabalham, depois, de forma cuidada. Os seus quadros resultam num instantâneo da realidade, com uma fotografia nítida, concreta e sólida.



TÉCNICA
A pintura a óleo é uma técnica artística, que se utiliza de tintas a óleo, aplicadas com pincéis, espátulas, ou outros meios, sobre telas de tecido, superfícies de madeira ou outros materiais. A popularidade da pintura a óleo atribui-se à extraordinária versatilidade que oferece ao artista conferindo magníficos resultados nas técnicas tradicionais (como a mistura cromática e o brilho) e excelente e consistente qualidade. Uma larga variedade de médios está, entre muitos fatores, avaliada a alterar certas caraterísticas das tintas de óleo como a consistência, a textura, o lustro/brilho e uma taxa de secura/fixação.


FONTE: wikipedia.


Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre o blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...