26 novembro 2011

1001 Filmes: Tempos Modernos (Modern Times)

DIREÇÃO: Charles Chaplin;
ANO: 1936;
GÊNEROS: Comédia;
NACIONALIDADE: EUA e França;
IDIOMA: inglês e mudo;
ROTEIRO: Charlie Chaplin;
BASEADO EM: ideia de Charles Chaplin;
PRINCIPAIS ATORES: Charles Chaplin (O Trabalhador) como Charlie Chaplin; Paulette Goddard (A Jovem Ellen Peterson); Henry Bergman (Proprietário Do Café); Stanley Blystone (Pai Da Ellen Peterson); Al Ernest Garcia (Presidente da Electro Steel Corp.) como Allan Garcia; Tiny Sandford (Grande Bill) como Stanley Sandford; Chester Conklin (Mecânico); Hank Mann (Assaltante); Richard Alexander (Companheiro de Cela) como Dick Alexander; Cecil Reynolds (Ministro); Mira McKinney (Esposa do Ministro) como Myra McKinney; Murdock MacQuarrie (J. Widdecombe Billows) como Murdoch McQuarrie; Wilfred Lucas (Diretor Juvenil); Edward LeSaint (Xerife Couler) como Ed Le Sainte e Fred Malatesta (Garçom Chefe Do Café).





SINOPSE: "Um operário de uma linha de montagem, que testou uma "máquina revolucionária" para evitar a hora do almoço, é levado à loucura pelo seu trabalho frenético e repetitivo. Ao deixar sanatório e sem emprego, encontra uma crise generalizada e equivocadamente é preso como um agitador comunista. Simultaneamente uma jovem rouba comida para salvar suas irmãs famintas e encontra o nobre vagabundo, que a ajuda e começam uma vida juntos" (O Teatro Da Vida).



"O Carlitos é espetacular, talvez um dos únicos personagens do cinema que fez vários filmes, sem necessariamente serem sequência, com enredo, tema e enfoques diferentes um do outro. Seu criador, o revolucionário e excepcional Chaplin, teve o dom ao criar alguém pobre, oprimido, sem sorte, o que ele chama de 'O Vagabundo' mas que vive de maneira leve, engraçada, sarcástica e plena, assim é Carlitos. Aqui, neste primeiro filme de Carlitos, e também de Chaplin, da nossa maratona 1001 Filmes, encontramos um trabalhador no auge da industrialização do início do século passado, onde tudo era automatizado, ou pelos menos, se automatizando. Além disso, Carlitos vive mais uma grande história de amor no cinema, onde pretende apenas viver o conto de fadas típicos de um casal. Chaplin era o filme em si, encarnava o espírito completo como diretor, escritor, roteirista e ator, com seu talento emprestado a várias áreas do filme, o resultado não poderia ser outro: fantástico!"

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Jonathan Pereira





"Charlie Chaplin, o cineasta mais homenageado de todos os tempos, por academias, governos e nas imitações populares, mostra aqui seu mais famoso personagem, o Carlitos, em sua última aparição. Charlie Chaplin atuou, dirigiu, escreveu, produziu e até mesmo financiou seus próprios filmes, eternizando-se como cientista na sétima arte. Neste filme ele talvez tenha pensado em trazer ânimo e otimismo em meio à escuridão de guerra na qual o mundo vivia e, neste sentido, triunfou. Desemprego, greves, mundo automatizado, o medo das máquinas retirarem o emprego das pessoas, o trabalho que adoece... temas recorrentes para a época, mas que também podem ser discutidos na atualidade, momento em que a ocupação profissional que traz adoecimento tem feito as empresas se remodelarem na relação com seus funcionários. Neste sentido e em outros, Chaplin é notadamente contemporâneo. Tempos Modernos traz uma mensagem de amor, de otimismo, de 'Smile', mas sem mostrar inocência: sim, o caminho é tortuoso, a vida tem muitas tragédias, mas o que importa mesmo é a estrada e as surpresas que estão por vir, assim como a capacidade de, com um sorriso estampado no rosto, ver tudo como, apenas, uma grande aventura. Otimismo em demasia talvez, mas a mensagem vale a pena ser revisitada."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Kleber Godoy





Para entender o que são os 1001 Filmes, acesse a página explicativa.

Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre o blog.





















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...