10 abril 2012

Olimpo Musical: Marisa Monte

Por Jonathan Pereira


* Antes de começar a ler sobre Marisa Monte, sugiro descer até o final da página e apertar o play do tocador para sentir verdadeiramente o que está escrito aqui. As músicas marcadas com o asterisco (*) são músicas que estão presentes na minha seleção, e consequentemente, no tocador.


NASCIMENTO
1º de julho de 1967 na cidade do Rio De Janeiro;


PERÍODO EM ATIVIDADE
1987 até hoje;


DISCOGRAFIA
6 álbuns de estúdio, 2 álbuns ao vivo e 1 álbum especial. Total de 9 álbuns;


VIDEOGRAFIA
Total de 6 DVD's;


PROJETOS ASSOCIADOS


PREMIAÇÕES
Grammy Latino: 3 | MTV Music Video Brasil: 8 | Prêmio Multishow De Música Brasileira: 9 | APCA: 5 | Prêmio Tim Da Música Brasileira: 4 | outros: 10;


CURIOSIDADES
- Segundo a revista Rolling Stone os disco 'MM' (em 62º lugar) e 'Verde, Anil, Amarelo, Cor-De-Rosa E Carvão' (em 87º lugar) estão entre os 100 Maiores Discos Da Música Brasileira de todos os tempos;

- As músicas de Marisa Monte aparecem 33 vezes em trilhas sonoras de novelas e filmes.


Cantora, compositora, produtora musical e instrumentista, Marisa Monte foi sempre independente nas suas escolhas de quando, como, onde e com quem iria gravar, se apresentar, produzir e compor. Jamais cedeu as exigências do mercado e com seu talento e facilidade em ir de ponta-a-ponta nos estilos musicais, sempre conseguiu uma renovação natural de sua carreira e de suas músicas, sem rótulos ou nichos musicais, nos presenteando com interpretações doces, enigmáticas e incompletas, deixando ao seu ouvinte o papel de completá-las da melhor maneira que convier.

Marisa de Azevedo Monte é carioca e filha de Carlos Monte, economista e editor cultural, e de Sylvia Marques de Azevedo Monte. Ainda criança, dizia que queria ser cantora de ópera, mas logo descobriu que gostava de tantos gêneros diferentes que não se realizaria em apenas um. Além dos discos que ouvia em casa, Marisa Monte, ainda na infância, estudou canto lírico, piano e bateria. Enquanto estudava no colégio Andrews, participou do musical Rocky Horror Show, dirigido por Miguel Falabella.

Para se aprofundar nos estudos de canto lírico, em 1986 Marisa muda-se para Itália, morando durante 10 meses em Roma e Veneza e se apresentando em barzinhos das cidades, quando sem saber, apresenta-se para Nelson Motta, que seria o propulsor de sua carreira.

Em 1987 Marisa Monte volta ao Rio de Janeiro, onde reencontra Nelson Motta que dirige seus primeiros shows profissionais ao lado de Lula Buarque de Hollanda. Desde seu retorno ao Brasil, nas apresentações no bar Jazzmania, foi reconhecida como uma nova promessa da música nacional. As apresentações de sua primeira turnê, Veludo Azul, aconteceu em São Paulo e Rio de Janeiro, logo seus shows e estilo foram se espalhando por outros estados, e já nesse começo, a palavra eclética era a que melhor representava Marisa, tanto para o público quanto para a crítica.

Antes mesmo de lançar seu primeiro álbum, Marisa Monte grava seu primeiro especial a convite da TV Manchete no final de 1988, no teatro Villa Lobos, com direção e Walter Salles e Nelson Motta. Esse especial tornou-se o seu primeiro álbum chamado MM, em 1989, sendo uma das raras cantoras nacionais a gravar o primeiro disco ao vivo. Esse foi o álbum mais vendido do ano. Além de contar com a  famosa Bem Que Se Quis*, que também é a única música inédita do álbum. O disco é repleto de belas e marcantes músicas na carreira de Marisa Monte e na música brasileira: Comida, Chocolate, Ando Meio Desligado, O Xote Das Meninas e I Heard It Through The Grapevine.

Depois de um disco eclético, Marisa Monte lança seu segundo álbum, em 1991, intitulado Mais, incluindo canções de sua autoria ou em parcerias que viriam a ser frequentes em sua carreira, como: Nando Reis, Arnaldo Antunes e Arto Lindsay. O álbum contém as faixas: Beija Eu*, Ainda Lembro* dueto com Ed Motta, De Noite Na Cama, Rosa, Eu Não Sou Da Sua Rua, Diariamente e Eu Sei (Na Mira)*.

Em 1994 é lançado o seu terceiro álbum, chamado Verde, Anil, Amarelo, Cor-De-Rosa E Carvão, gravado em Nova Iorque e Rio de Janeiro e sob a direção da própria Marisa Monte. O disco é eleito pelo All Music como o melhor da sua carreira, pela Rolling Stone um dos 100 Maiores Discos Da Música Brasileira, e o videoclipe da música Segue A Seco ganha 5 prêmios MTV Video Music Brasil. Esse álbum também nos apresenta as composições em parceria com Carlinhos Brown, outro grande amigo e parceiro musical. O álbum conta com outas faixas: Maria De Verdade*, Na Estrada*, Ao Meu Redor, Dança Da Solidão dueto com Gilberto Gil, De Mais Ninguém dueto com Época De Ouro), Alta Noite, Bem Leve, Balança A Pema e Esta Melodia dueto com Velha Guarda Da Portela.

De sua turnê pelos EUA e Brasil foram captadas ao vivo em um disco as músicas de antigo repertório e em outro disco músicas inéditas em sua voz gravado em estúdio, fazendo de Barulhinho Bom: Uma Viagem Musical seu quarto álbum de carreira, segundo ao vivo e primeiro duplo, simultaneamente. Lançado em 1996 o álbum teve grande repercussão nacional e internacional não apenas por sua música, mas também pela arte da capa feita pelo artista pornô Carlos Zéfiro, que nos EUA foi censurada com uma faixa preta sobre os seios do desenho. Algumas faixas do álbum são: Panis Et Circenses , Give Me Love (Give Me Peace On Earth), A Menina Dança, Dança Da Solidão*, Arrepio, Chuva No Brejo e Tempos Modernos.

Os próximos 4 anos foram dedicados a duetos, produções de discos de outros cantores e shows. Marisa Monte viaja aos EUA onde encontra David Byrne e grava a música Águas De Março, em 1995.

Em 1997 Marisa Monte grava ao lado de Gilberto Gil a música Life Gods; Momilê*, para integrar a trilha sonora do filme 'Navalha Na Carne (Neville d'Almeida, 1997). A música é na verdade uma oração ecumênica, onde 77 formas de nomear Deus, em diversos idiomas, dialetos e religiões, foram selecionados da matéria de capa da revista Life, da edição de dezembro de 1990 chamada: Who's God? Após 2 anos trabalhando nesse quebra-cabeça, o poema foi montado, e depois de 6 anos a música foi mixada até ter sua métrica encaixada em seu metrônomo. Quando se ouve a música sem saber seu significado, é natural tentarmos, sem sucesso, descobrir em que idioma foi gravada, porém, ao saber da história e ao ouvi-la novamente conseguimos decrifrá-la rapidamente. Ainda em 1997 é convidada a cantar ao lado dos Titãs a música Flores*, presente no CD e DVD da banda chamado MTV Acústico.

Em 1998 Marisa Monte produz o disco de Carlinhos Brown, chamado Omelete Man, onde também canta com ele a música Busy Man. Com os Paralamas Do Sucesso grava a música O Amor Não Sabe Esperar*, no álbum Hey Na Na, ainda em 1998. Também é convidada pelo Timbalada a cantar em seu álbum Vamos Dar A Volta No Getho, com a música Toneladas De Desejo*. Em 1999 é a vez de produzir o álbum Tudo Azul da Velha Guarda Da Portela. Também cantou e produziu a faixa É Doce Morrer No Mar* da Cesária Évora, no álbum Café Atlantico, da cantora cabo verdiana.

Enfim, em 2000, Marisa Monte lança seu quinto álbum chamado Memórias, Crônicas e Declarações De Amor (Textos, Provas e Desmentidos). Com esse álbum ela ganha seu primeiro Grammy Latino na categoria de Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro, além de outros prêmios nacionais e foi o álbum mais vendido de Marisa Monte. O disco traz as faixas: Amor I Love You*, Não Vá Embora*, O Que Me Importa*, Não É Fácil*, Tema De Amor, Para Ver As Meninas*, Cinco Minutos, Gentileza*, Gotas De Luar e Sou Seu Sabiá.

A turnê com mais de 150 shows no Brasil e no exterior para divulgar o recém-lançado álbum tornou-se o seu primeiro DVD, lançado em 2001. Para promover o DVD, a gravadora lança um EP (Extended Play) com duas faixas: Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo e A Sua*. Ainda em 2001 canta ao lado de Arnaldo Antunes a música Paradeiro*, no álbum do Arnaldo de mesmo título. E também é convidada por Eramos Carlos a cantar ao seu lado a música Mais Um Na Multidão*, do seu álbum Pra Falar De Amor.

Em 2002, Marisa (Zé) Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown formam um trio chamado Tribalistas e gravam o primeiro, e até aqui único, álbum dos Tribalistas, sendo: o sexto álbum de carreira da Marisa Monte, sétimo álbum da carreira do Arnaldo Antunes e o quarto álbum da carreira de Carlinhos Brown. O disco foi gravado de forma artesanal e caseiro e os Tribalistas não fizeram shows nem se quer apareceram em programas de TV ou rádio, e ainda assim conseguiram vender mais de 1,5 de cópias no Brasil e outro 1 milhão no exterior, ganhando em 2003 o Grammy Latino na categoria Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro. Foi o sexto álbum, todos já lançados, de Monte a estrear na primeira posição dos discos mais vendidos, e o primeiro de Antunes e Brown a alcançar essa posição. Também foi lançado o segundo DVD da carreira também chamado Tribalistas. Ainda em 2002 Marisa Monte produz o primeiro álbum solo, homônimo, do veterano sambista Argemiro Patrocínio.

Mais uma pausa em novos projetos e álbuns, dando espaço de quatro anos a mãe Marisa. Nesse tempo, foi lançada em 2003 a trilha sonora do filme 'Casseta & Planeta: A Taça Do Mundo É Nossa (Lula Buarque de Holanda, 2003)' com a presença de Marisa Monte cantando a música Esqueça (Forget Him)*. Em 2004 é vez de lançar mais 3 DVD's: Marisa Monte Ao Vivo, Mais e Barulhinho Bom.

Na sua volta ao mercado fonográfico, em 2006, Marisa Monte lança, simultaneamente, o seu sétimo e oitavo álbuns. Infinito Particular traz canções inéditas, todas de autoria de Marisa Monte ao lado de: Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Pedro Baby, Seu Jorge, Nando Reis, Marcelo Yuka, Adriana Calcanhotto, Dadi, entre outros, no estilo Pop. O álbum conta com as músicas: Infinito Particular, Vilarejo*, Pra Ser Sincero, A Primeira Pedra, Gerânio, Quem Foi, Aconteceu, Até Parece e Pelo Tempo Que Durar. Já Universo Ao Meu Redor é o primeiro álbum de Marisa Monte que não estreia em primeiro lugar dos mais vendidos trazendo músicas para rodas de sambas, como: Universo Ao Meu Redor, O Bonde Do Dom, Meu Canário, Quatro Paredes, Cantinho Escondido, Statue Of Liberty, Lágrimas E Tormentos, Satisfeito, Para Mais Ninguém e Pétalas Esquecidas.

Em 2008 é lançado o sexto DVD de carreira, chamado Infinito Ao Meu Redor, registrando um período de 2 anos, desde o lançamento dos seus dois últimos discos até os últimos shows de sua turnê, com direito a algumas faixas, como: Mais Uma Vez* e Não É Proibido*. No mesmo ano Marisa estréia no mundo da sétima arte, como produtora do documentário 'O Mistério Do Samba (Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, 2008)', contando a história da Velha Guarda Da Portela, com o material colhido na produção do álbum Tudo Azul, em 1998. Ainda em 2008, Julieta Venegas convida Marisa Monte para gravarem juntas a música Ilusión*, faixa integrante do álbum MTV Unplugged de Venegas.

Após 5 anos Marisa Monte lança, em 2011, seu oitavo álbum chamado O Que Você Quer Saber De Verdade, nele há novas e antigas parcerias produzindo faixas como: O Que Você Quer Saber De Verdade, Descalço No Parque, Depois*, Amar Alguém*, O Que Se Quer* (dueto com Rodrigo Amarante), Lencinho Querido (El Panuelito), Ainda Bem, Aquela Velha Canção*, Era Óbvio, Seja Feliz e Bem Aqui.

Marisa Monte é isso, eclética mas decidida, é do samba de raiz e do Pop contemporâneo, e ser Marisa Monte é tão bom quanto não ter rótulos ou definições.

Segue abaixo a lista, selecionada por mim, das 35 melhores músicas de Marisa Monte em ordem de importância e uma playlist com as mesmas músicas:


1ª) Não É Proibido (Ao Vivo)
2008 (Marisa Monte, Dadi e Seu Jorge)

2ª) A Sua
2001 (Marisa Monte)

3ª) Gentileza
2000 (Marisa Monte)

4ª) Velha Infância (com Tribalistas)
2001 (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Davi Moraes, Marisa Monte e Pedro Baby)

5ª) Beija Eu
1991 (Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Arto Lindsay)

6ª) Flores (Ao Vivo) (com Titãs)
1996 (Charles Gavin, Tony Bellotto, Paulo Miklos e Sérgio Britto)

7ª) Passe Em Casa (com Tribalistas)
2001 (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown, Margareth Menezes e Marisa Monte)

8ª) Aquela Velha Canção
2011 (Carlinhos Brown e Marisa Monte)

9ª) É Doce Morrer No Mar (com Cesária Évora)
1999 (Dorival Caymmi e Jorge Amado)

10ª) Ilusión (Ao Vivo) (com Julieta Venegas)
2008 (Julieta Venegas / Versão: Marisa Monte e Arnaldo Antunes)

11ª) Mais Uma Vez (Ao Vivo)
2008 (Marisa Monte)

12ª) Ainda Lembro (com Ed Motta)1991 (Marisa Monte e Nando Reis)

13ª) Não É Fácil
2000 (Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown)

14ª) Mais Um Na Multidão (com Erasmo Carlos)
2001 (Erasmo Carlos e Marisa Monte)

15ª) Maria De Verdade
1994 (Carlinhos Brown)

16ª) Já Sei Namorar (com Tribalistas)
2001 (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte)

17ª) Paradeiro (com Arnaldo Antunes)
2001 (Arnaldo Antunes e Marisa Monte)

18ª) Bem Que Se Quis (Ao Vivo)
1989 (Pino Danielle e Nelson Motta)

19ª) Para Ver As Meninas
2000 (Paulinho da Viola)

20ª) Toneladas De Desejo (com Timbalada)
1998 (Carlinhos Brown e Alain Tavare)

21ª) Esqueça (Forget Him)
2003 (Mark Anthony / Versão: Roberto Corte Leal)

22ª) Na Estrada
1994 (Marisa Monte, Nando Reis e Carlinhos Brown)

23ª) Amor I Love You
2000 (Carlinhos Brown e Marisa Monte)

24ª) Depois
2011 (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte)

25ª) É Você (com Tribalistas)
2001 (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte)

26ª) O Amor Não Sabe Espera (com Paralamas Do Sucesso)
1998 (Herbert Vianna)

27ª) O Que Me Importa
2000 (Cury)

28ª) Vilarejo
2006 (Marisa Monte, Pedro Baby, Carlinhos Brown e Arnaldo Antunes)

29ª) Não Vá Embora
2000 (Marisa Monte e Arnaldo Antunes)

30ª) Amar Alguém
2011 (Arnaldo Antunes, Dadi e Marisa Monte)

31ª) Life Gods; Momilê (com Gilberto Gil)
1990 (Arnaldo Miranda, Mônica Millet e Tavinho Paes)

32ª) Eu Sei (Na Mira)
1991 (Marisa Monte)

33ª) O Que Se Quer (com Rodrigo Amarante)
2011 (Rodrigo Amarante e Marisa Monte)

34ª) Dança Da Solidão (Ao Vivo)
1996 (Paulinho da Viola)

35ª) Tribalistas (com Tribalistas)
2001 (Arnaldo Antunes, Carlinhos Brown e Marisa Monte)




Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre o blog.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...