24 setembro 2011

1001 Filmes: O Atalante (L'Atalante)

DIREÇÃO: Jean Vigo;
ANO: 1934;
GÊNEROS: Comédia e Romance;
NACIONALIDADE: França;
IDIOMA: Francês;
ROTEIRO: Jean Guinée, Albert Riéra e Jean Vigo;
BASEADO EM: ideia de Jean Guinée, Albert Riéra e Jean Vigo;
PRINCIPAIS ATORES: Jean Dasté (Jean); Dita Parlo (Juliette); Michel Simon (Jules); Louis Lefebvre (Garoto); Raphaël Diligent (Barqueiro) como Rafa Diligent; Maurice Gilles (Chefe) e Gilles Margaritis (Vendedor Ambulante).





SINOPSE: "Quando se casa com Jean, Juliette vai morar no barco do marido, onde o casal está acompanhado apenas de mais dois tripulantes. Pouco tempo depois, entediada com a vida a bordo, a mulher desembarca em Paris para ver a vida noturna. Irritado com isso, Jean zarpa, abandonando Juliette, mas, angustiado pela culpa e pela saudade, cai em depressão, e um dos tripulantes volta à cidade para tentar achar Juliette." (Melhores Filmes).



"Um filme fruto do impressionismo e surrealismo francês, contando uma história típica '...e viveram felizes para sempre!'. A história de amor, encantamento, mesmice, brigas, separação e reencontro se passa em Paris da década de 30, uma viagem ao passado e uma oportunidade exclusiva de ver a cidade luz no início do século passado da forma romântica como todos nós a vemos e imaginamos. Talvez por esse motivo valha a pena ver o filme. Um enredo não linear e parecendo acontecer, em vários momentos, dentro do sono dos personagem. Um belo retrato histórico."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Jonathan Pereira





"Jean vigo, com vida e obra curta, conseguiu influenciar o cinema mundial com a sensibilidade nas cenas que produziu. O Atalante nos traz uma cena de sexo na qual os personagens estão distantes fisicamente... é lindo. O filme mostra o tédio da mulher que vive no barco de seu marido, mas deseja a vida e o movimento das cidades. Este casal vai nos ensinar que ao final das alternâncias entre tristeza e felicidade o amor sobrevive, se realmente for amor, sendo necessário somente dar-se um pouco de distanciamento em alguns momentos de crise e aproveitar este momento para o crescimento. Um filme que vai direto ao assunto, sem enrolação e com lindos focos de câmera."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Kleber Godoy





Para entender o que são os 1001 Filmes, acesse a página explicativa.

Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre o blog.









































Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...