14 janeiro 2012

1001 Filmes: Aguirre, A Cólera Dos Deuses (Aguirre, Der Zorn Gottes)


DIREÇÃO: Werner Herzog;
ANO: 1972;
GÊNEROS: Aventura e Drama;
NACIONALIDADE: Alemanha Ocidental;
IDIOMA: Alemão;
ROTEIRO: Werner Herzog;
BASEADO EM: Fatos Históricos;
PRINCIPAIS ATORES: Klaus Kinski (Lope de Aguirre); Helena Rojo (Inez de Atienza); Ruy Guerra (Don Pedro de Urzúa); Del Negro (Padre Gaspar de Carvajal); Peter Berling (Don Fernando de Guzman); Cecilia Rivera (Florés de Aguirre); Daniel Ades (Perucho); Edward Roland (Okello); Armando Polanah (Armando); Alejandro Repullés (Gonzalo Pizarro) e Justo González (González).




SINOPSE: "No século XVI, uma expedição de conquistadores espanhois se embranha na parte peruana da selva amazônica em busca de Eldorado, o reino de ouro perdido. Um ambicioso aventureiro, Lope de Aguirre, derruba do comando seu superior e passa a dar ordens a um grupo de pessoas que se separa dos demais para cumprir uma missão. Porém, aos poucos, a selva vai provocando loucura e obsessão, além de dizimar os membros da expedição." (Cineplayers).


"A dinâmica deste filme, a intensidade, a abordagem é algo novo presente nesta história. O filme todo se passa na selva, e boa parte dele sobre embarcações dentro dos rios da Amazônia. Ao mesmo tempo em que o filme não traz emoções e agilidade, ele é muito dinâmico, dentro da sua proposta de enredo. A intensidade de atuação é muito real e forte, talvez despertada pela loucura, e até pela ameça de morte, do próprio diretor. A sua história, pode parecer muito desconexa, sem sentido e desinteressante, mas conforme o filme vai se desenrolando, aqueles personagens que parecem zumbis dentro da selva vão criando um ambiente de indefinição e extermínio. É um filme único, talvez não encontremos nada desse tipo em nossa jornada e de tão diferente, acaba sendo pesado e denso demais para uma repetição a curto e médio prazo."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Jonathan Pereira





"Baseado em uma história real, a do aventureiro Lope de Aguirre, o filme se passa pouco depois da descoberta de nossas terras e mostra a ânsia por poder de um homem com pouca sanidade, que ao se encontrar em situação limite, coloca toda sua loucura para trabalhar. É interessante citar que o próprio ator que interpretou o líder Aguirre também se considerava um pouco louco, sendo uma pessoa de temperamento explosivo e variações de humor constantes. Este, Klaus Kinski, era o ator preferido do diretor Werner Herzog e talvez muito da voracidade que encontramos nas cenas deste filme, e de outros em que os dois trabalharam juntos, deve-se ao relacionamento conturbado entre eles, talvez porque Herzog desejasse ter poder sobre as atuações de alguém que não aceitava rédeas. A história do filme se detém nesta situação limite de pessoas vindas da Europa para se aventurarem Rio Amazonas abaixo, enfrentando ambiente e habitantes desconhecidos e agressivos. Herzog talvez quisesse mostrar exatamente como estas pessoas agiriam com o estresse causado pelo contexto e retirar deles seus momentos menos sãos. A própria história da produção do filme é uma epopéia, com os desentendimentos entre o diretor e Kinski, com alemães atuando e vivendo por várias semanas às margens e dentro do Rio Amazonas. Talvez eles buscassem o Eldorado que a expedição espanhola também almejou conhecer séculos atrás. Com imagens muito reais da força do rio e da agressividade das pessoas, eis a história de um homem que viajava em direção à cidade do ouro, mas que na verdade só queria poder e reconhecimento, indo até as últimas conseqüências de sua sanidade. Um filme com o tema 'coragem' de perseguir por águas tortuosas os objetivos almejados. Não se é feliz se não se for um pouco louco."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Kleber Godoy





Para entender o que são os '1001 Filmes', acesse a página explicativa.

Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre.






















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...