09 fevereiro 2012

Sétima Arte Brasil: O Homem Que Copiava (Jorge Furtado, 2003)

DIREÇÃO: Jorge Furtado;
ANO: 2003;
GÊNEROS: Comédia, Drama, Policial e Romance;
ROTEIRO: Jorge Furtado;
BASEADO EM: ideia de Jorge Furtado;
PRINCIPAIS ATORES: Lázaro Ramos (André); Leandra Leal (Silvia); Luana Piovani (Marinês); Pedro Cardoso (Cardoso); Paulo José (Paulo); Júlio Andrade (Feitosa) e Carlos Cunha Filho (Antunes).




SINOPSE: "André, 20 anos, operador de fotocopiadora em uma papelaria, precisa desesperadamente de trinta e oito reais para impressionar a garota dos seus sonhos, Sílvia, que mora no prédio em frente e trabalha como balconista em uma loja de artigos femininos. Ajudado por seu amigo Cardoso, e depois também pela colega de trabalho Marinês, André faz muitos planos para conseguir dinheiro. E todos dão certo. E é aí que seus problemas começam." (Casa De Cinema De Porto Alegre).


"Um filme narrado pelos personagens principais, detalhe recorrente nas obras do diretor Jorge Furtado, inclusive neste segundo longa-metragem de sua carreira como diretor. Retratar um jovem, sonhador, que perdeu o pai cedo e que rala todo dia para conseguir se manter vivo, e que com o tempo, acaba se apaixonando e enveredando para um mundo onde o dinheiro é mais fácil e a vida mais confortável, é um tema fácil, muito abordado e simplista. Não é possível resumir esse filme nisso apenas! As atuações impecáveis do quarteto principal e os detalhes pensados pelo diretor, tornam esse filme único, espetacular. Mas claro, também retrata o jovem pobre, que luta para se sustentar e que se permite ganhar dinheiro fácil, além de demonstrar que nem todo bandido é perverso e sem coração, e nem todo mocinho e bondoso e amável, e deixando a definição de mocinho e bandido, para cada personagem, a escolha  cada espectador do filme. Nos mostra que não há um esteriótipo, seja sobre qual papel for dos milhares que vivemos e nos deparamos durante nossa vida."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Jonathan Pereira





"Vamos começar falando do diretor Jorge furtado que já passeou por diversos campos: medicina, psicologia, jornalismo, artes plásticas, cinema, TV, teatro... além de ter conquistado diversos prêmios e homenagens nacionais e internacionais, ter fundado a Casa de Cinema de Porto Alegre e ser pai do talentosíssimo ator Pedro Furtado. Logo, estamos falando de um filme muito bem dirigido, um orgulho para nosso país, produzindo a todo vapor nas terras do sul, onde tanta beleza há. Assim, 'O Homem Que Copiava' conta com uma trama envolvente baseada na arte de observar e de ser observado, na qual o espectador se deixa seduzir pela vida de André (Lázaro Ramos), que tenta sair de sua rotina para conquistar um grande amor e independência financeira. Ele observa sua vizinha, Silvia (Leandra Leal), através do binóculo e não perde nenhum detalhe, se apaixonando por todos eles, pela vida diferente que se mostra à sua frente. Em dado momento, observa por uma hora cenas monótonas, até que ela passa seminua em sua frente: 'foram só dois segundos; mas valeu a pena'. E quantas vezes a vida do outro não nos apaixona assim também, pela beleza de seus detalhes? A sua prática voyer extravasa e ele deseja viver um romance em Porto Alegre, tendo experiências e aventuras inesquecíveis. O filme conta ainda com trechos de desenho animado, beleza estética, texto poético e atores talentosos (além dos protagonistas nos deparamos com Luana Piovani, Pedro Cardoso, Paulo José, Carlos Cunha Filho e Júlio Andrade): um orgulho para o cinema nacional aplaudido de pé também internacionalmente. Sua trama não nos deixa com maior facilidade em compreender a vida, e talvez por isso seja tão bonito de se presenciar."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Kleber Godoy





Para entender a seção 'Sétima Arte Brasil' visite a postagem explicativa.

Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre o blog.











Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...