20 agosto 2011

1001 Filmes: Artistas E Modelos (Artists And Models)

DIREÇÃO: Frank Tashlin;
ANO: 1955;
GÊNEROS: Comédia, Musical e Romance;
NACIONALIDADE: EUA;
IDIOMA: inglês;
ROTEIRO: Frank Tashlin, Don McGuire, Herbert Baker e Hal Kante;
BASEADO EM: conto 'Rock-A-Bye Baby' de Michael Davidson e Norman Lessing;
PRINCIPAIS ATORES: Dean Martin (Rick Todd); Jerry Lewis (Eugene Fullstack); Shirley MacLaine (Bessie Sparrowbrush); Dorothy Malone (Abigail 'Abby' Parker); Eddie Mayehoff (Mr. Murdock); Eva Gabor (Sonia / Mrs. Curtis); Anita Ekberg (Anita); George Winslow (Richard Stilton como George 'Foghorn' Winslow); Jack Elam (Ivan); Herbert Rudley (Chefe do Serviço Secreto: Samuels); Richard Shannon (Agente do Serviço Secreto: Rogers); Richard Webb (Agente do Serviço Secreto: Peters); Alan Lee (Otto) e Otto Waldis (Kurt).





SINOPSE: "Um cartunista desempregado sente-se incomodado quando toda noite seu companheiro de quarto sonha histórias das revistas em quadrinhos que lê avidamente, até descobrir que o seu amigo sonha aventuras que nunca foram publicadas e que tem enorme aceitação perante o público." (Adoro Cinema).



"Dean Martin e Jerry Lewis nos é apresentado de uma forma bastante convincente e hilária, dupla que apareceu nas telonas exatas 16 vezes, podíamos dizer, um casamento. E é justamente isso que o filme nos faz induzir, que seus personagens, um artista fracassado e um homem-criança, parecem ser casados, como marido e marido. O filme é recheado de provocações e afrontamentos aos costumes e ideologias da cultura americana, sempre contando sua história de uma forma bastante ingênua, leve e cômica. O quarteto principal do filme tem atuações impecáveis, destacando a atuação da dupla, que teria a antepenúltima aparição juntos em um filme, mostrando como ambos se completavam. Um enredo leve e solto, sem necessidade de provações ou afirmações, apenas a necessidade de estampar o talento da dupla Martin & Lewis."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Jonathan Pereira





"Gosto muito de assistir estes musicais antigos que trazem uma boa dose de comédia, com atores que sabem fazer várias coisas ao mesmo tempo, mostrando talento em atuar, dançar e cantar. Artistas e Modelos é um destes filmes produzidos dentro da calorosa onda musical sofisticada dos anos de 1950, sendo um dos trabalhos de sucesso da dupla dinâmica formada por Dean Martin e Jerry Lewis, interpretando os amigos Rick Todd (homem sério e centrado) e Eugene Fullstack (criança animada que leva a vida com asas no lugar de braços), me fazendo gostar até mesmo daquelas partes de comédia pastelão que não me atraem tanto em outras obras. Esta dupla foi tão importante na história do cinema que ao buscar informações sobre eles encontramos duas filmografias para cada, uma da dupla e outra solo de cada um deles, após o rompimento da amizade. Junto a esta dupla encontramos o diretor Tashlin, homem que conhecia bem o tema do filme já que ele era diretor de desenhos animados dos 'Looney Tunes', ficando fácil fazer uma comédia sobre a vida de cartunistas, o que também deve ter lhe dado muita satisfação, ainda mais por ter firmado nesta ocasião uma frutífera parceria com Jerry Lewis. Há pouco tempo tive contato com Jerry Lewis quando assisti 'Arizona Dream: Um Sonho Americano (Arizona Dream, Emir Kusturica, 2003)', filme no qual contracena com Johnny Depp, e vê-se que ele mudou muito fisicamente, mas ele e seu talento continuam em cena. Gosto de pensar que ele estaria com sua dupla, Dean Martin, fazendo belas obras de comédia e musical até hoje se a amizade tivesse prosperado e Dean ainda estivesse vivo. No mais, musicais como este me encantam pela exuberância dos cenários, pelos carros de luxo, pela beleza das ruas e dos comércios, pelo glamour dos figurinos e pela presença de belas mulheres no elenco, como é o caso, aqui, de Dorothy Malone (a editora de histórias quadrinhos) e de Shirley MacLaine (a secretária e modelo). E ainda contamos neste filme com Eva Gabor e Anita Ekberg. Por fim, acredito que os musicais (em geral, e este em específico) tem a nos ensinar que a vida deva ser levada como um passo de dança, leve e ritmado, acreditando sempre, como diz a música desta obra, que existem muitos finais felizes."

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Kleber Godoy





Para entender o que são os 1001 Filmes, acesse a página explicativa.

Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre o blog.






















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...