08 fevereiro 2011

1001 Filmes +: Quem Quer Ser Um Milionário? (Slumdog Millionaire)

DIREÇÃO: Danny Boyle;

ANO: 2008;
GÊNEROS: Ação, Drama e Romance;
NACIONALIDADE: EUA e Inglaterra;
IDIOMA: Inglês e Hindi;
ROTEIRO: Simon Beaufoy;
BASEADO EM: livro 'Q & A' do escritor Vikas Swarup;
PRINCIPAIS ATORES: Dev Patel (Jamal Malik adulto); Tanay Chheda (Jamal Malik adolescente); Ayush Mahesh Khedekar (Jamal Malik criança); Freida Pinto (Latika adulta); Tanvi Ganesh Lonkar (Latika adolescente); Rubina Ali (Latika criança); Madhur Mittal (Salim Malik adulto); Ashutosh Lobo Gajiwala (Salim Malik adolescente); Azharuddin Mohammed Ismail (Salim Malik criança); Anil Kapoor (Prem Kumar) e Irrfan Khan (inspetor policial); Saurabh Shukla (Sargento Srinivas); Rajendranath Zutshi (Diretor) como Raj Zutshi; Jira Banjara (Guarda De Segurança do Aerporto) como Hira Banjara; Sheikh Wali (Segurança do Aerporto); Mahesh Manjrekar (Javed); Sanchita Choudhary (Mãe de Jamal); Himanshu Tyagi (Sr. Nanda) e Sharib Hashmi (Prakash).







SINOPSE: "Jamal Malik vem de uma família das favelas de Mumbai, Índia, e está prestes a ganhar o prêmio de 20 milhões de rúpias no programa Quem Quer Ser Um Milionário?, feito que nenhum participante jamais conseguira até então. Visto por toda a população através da televisão, Jamal acaba sendo preso por suspeita de trapaça. Afinal, como um rapaz que morou toda a vida na rua pode ter conhecimento suficiente para vencer o jogo? Teria ele roubado? Ou seria apenas sorte? Para provar sua inocência, Jamal começa a contar a sua história e de onde ele tirou a resposta para cada uma das perguntas, relembrando da sua infância com seu irmão na favela e falando da sua paixão pela jovem Latika." (EfeitoPOP.com).



"Saber que o filme se passa na Índia, segundo país mais populoso do mundo, é nos apresentar o mundo daqui algumas décadas? Uma indagação que persiste durante todo o filme, e que a cada momento acaba se tornando uma certeza. É um filme baste ágil, assustadoramente real e bastante rico. O ditado: 'matar um leão por dia!' faz sentido durante todo o filme, onde o leão é: o irmão, a família, aquele que segue a religião concorrente, a ética, a humildade, a caridade, a irmandade, a coesão e a coerência, o amor, o respeito, etc., ou seja: a dignidade, onde todos parecem não ter forçar para escolher uma vida que não a indigna. Como se não bastasse a luta contra as pessoas e suas perverções, imperfeições e o seu lado negro, que como quase que única, é uma forma de sobrevivência, o ambiente também lhe impõe imagens surpreendentes: as super favelas, os super lixões, a super poluição (oufativa, visual, tátil e sonora), etc. O filme retrata um garoto, que teve todos esses leões a sua frente, e de forma humana e correta, consegue passar por cada um dos obstáculos. Ser um milionário da noite para o dia, respondendo a perguntas em frente a milhões de telespectadores num jogo de TV, acaba sendo apenas a máscara que foi a vitória daquela criança em vencer o jogo da vida, ou seja, tornando-se um adulto digno, onde esse sim, é um Milionário, uma excessão, o diferente. Quem será (conseguirá) ser o novo milionário?"

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Jonathan Pereira





"Um filme lindíssimo em imagem, som, montagem e sentimento, mostrando mais uma vez que com pouco dinheiro e belíssimas atuações pode se chegar muito longe. Mostra flashes de uma cultura diferente da nossa, permeado pelo amor de Jamal e Latika, mostrando com maestria os preconceitos e a superposição de classes que predomina na sociedade, desde sempre. Ora, será que um cachorro de favela pode se tornar milionário? E, se ele consegue, que artifícios utiliza para isso? 'Médicos e advogados não passaram de 16 mil; ele está em 10 millhões; o que um favelado pode saber?' Estamos diante de estigmas, marcas que se sobrepõe a todo ser da pessoa, não a deixando aflorar em suas potencialidades. E neste ponto lembro do grande psicólogo existencialista Carl Rogers, acerca do potencial humano para o crescimento e da criatividade como elemento essencial neste caminho, levando a pensar também nas contribuições práticas de outros construtos como a Resiliência – o garoto cego pedindo esmola, mesmo com tanto sofrimento e abuso em sua vida não me pareceu triste – estava sorrindo. Mas veja, o mais grave não é quando a pessoa é estigmatizada, mas sim quando ela aceita e introjeta em si aquilo que nela colocaram. Estamos nesta dinâmica a todo instante ou é impressão minha? A obra mostra Jamal em busca de seu desejo, nada mais, simples assim: 'a cada pergunta fica mais perto de seu grande amor' e, mais do que isso, da realização de seu desejo (em conceito mais amplo, mas que pode ficar assim neste ponto), ou seja, mostra como somos motivados por nossos desejos e como estes nos levam à escolhas e caminhos 'estranhos'. Jamal seguiu seu desejo, que não era o de ficar milionário. Qual o sentido da vida? Qual o meu sentido na vida? Temos coragem em admitir, vivenciar e buscar nossos caminhos? Bem... é mais amplo que tudo isso, mas ficam as questões (mais do que as respostas). As crianças se divertem mesmo em meio a pobreza, morte e lixo e... as pessoas tendem a perder esta capacidade para sorrir no decorrer da vida? Existe um incrível talento para substituir este bom humor por doenças cardíacas, depressão, pânico e outras doenças ditas modernas? Por fim, o que determina o sucesso ou o fracasso nos empenhos da vida? a) trapaças; b) sorte; c) genialidade; d) destino?"

(1: Ruim; 2: Regular; 3: Bom; 4: Ótimo; 5: Excelente)
Kleber Godoy






Para entender o que são os 1001 Filmes, acesse a página explicativa.

Para entender a dinâmica do 'O Teatro Da Vida' visite a página sobre o blog.























Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...